11 Razões científicas que mostram que ter gatos faz bem à saúde

11 Razões científicas que mostram que ter gatos faz bem à saúde

O seu gato não é apenas uma bola de pêlo macio e fofinho; também é ótimo para sua saúde.

A ciência mostra que os animais podem ajudar a prevenir alergias em crianças, prevenir infecções respiratórias, melhorar o humor e até aumentar a autoestima. Prepare-se para comemorar os muitos benefícios de ter um gato:

1. Eles mantêm o coração saudável

De acordo com um estudo de 2008 realizado por pesquisadores da University of Minnesota Stroke Institute, os donos de gatos têm menos probabilidade de morrer de ataque cardíaco. 

Depois de monitorar quase 4.500 pessoas (três em cada cinco participantes possuíam um gato) durante um período de 10 anos, os pesquisadores foram capazes de determinar que os donos de gatos experimentaram um risco 30% reduzido de morte por ataque cardíaco em comparação com os participantes que não tinham gatos. 

Outro estudo de 2009 também concluiu que ter gatos está associado a uma diminuição do risco de morrer de doenças cardiovasculares.

2. Descansar ao lado do seu gato ajuda a relaxar

Os gatos não só valorizam a importância do sono, mas também são muito fofos quando dormem. Estudos mostram que uma soneca ao meio-dia pode ativar seu estado de alerta, memória, criatividade, produtividade e bom humor em geral.

Portanto, se aconchegar ao lado do seu amigo peludo 20 minutos por dia te ajudará a descansar melhor.

3. Eles não deixam o fracasso atrapalhar

Não importa quantas vezes eles caiam, os gatos sempre encontram uma maneira de se levantar e tentar novamente. Eles têm um espírito de resiliência e provavelmente sabem melhor do que nós que os erros não nos incapacitam de alcançar o sucesso a longo prazo que desejamos. 

4. O ronronar deles acalma seus nervos

Estudos indicam que o ronronar dos gatos ajuda a reduzir o estresse do dono, assim como a pressão arterial. Além disso, os gatos podem produzir vibrações entre 20 e 140 hertz ao ronronar, uma frequência considerada benéfica para uma ampla variedade de doenças, de acordo com a Scientific American.

5. Eles vivem no momento

É claro que eles levam uma vida muito menos estressante do que os humanos, mas isso não nos impede de elogiar sua capacidade inata de permanecer perfeitamente calmos, às vezes por horas, e apreciar o momento presente. 

6. Eles fazem você rir como você nunca imaginou ser possível

Qualquer um que tenha gatos dirá que essas criaturas são tão engraçadas quanto fofas. É impossível não rir com um gato.

No ano passado, pesquisadores da Loma Linda University, na Califórnia, descobriram que apenas assistir a 20 minutos de vídeos engraçados reduziu consideravelmente nossos níveis de cortisol e ajudou a melhorar a memória de curto prazo em participantes mais velhos. Outra pesquisa ligou o riso a um coração e sistema imunológico mais fortes.

7. Eles nos ensinam a importância da tomada de decisões estratégicas

Ao contrário de seus inimigos caninos que correm porta afora na menor oportunidade, para caçar a bola no corredor ou engolir o saco de doces derramado pela cozinha, os gatos tendem a escolher suas batalhas com cuidado. 

Eles demoram mais para observar, pensar e ponderar antes de decidir se a atração daquele momento realmente vale sua atenção. 

Eles também se movem de forma mais intencional quando escalam alturas aparentemente impossíveis e encontram uma maneira segura de descer depois.

8. Eles podem ajudar autistas a se comunicarem

Crianças e adultos com autismo às vezes têm dificuldade em se comunicar com o mundo ao seu redor. No entanto, a terapia animal tem se mostrado uma ferramenta de aprendizado muito útil, já que muitas pessoas autistas sentem uma conexão mais forte com os animais do que outras pessoas. 

Um estudo realizado na França em 2012 analisou 40 crianças autistas e seus animais de estimação e descobriu que as crianças se sentiam mais calmas e podiam se socializar com mais facilidade do que aquelas sem animais de estimação. 

Eles vincularam essa mudança a um aumento na produção de oxitocina, um hormônio que pode ser gerado por gatos acariciando e que aumenta os sentimentos de confiança e amor.

9. Eles ajudam a combater a depressão

O relaxamento de acariciar um gato em seu colo não apenas alivia seu estresse. Essa companhia tangível é conhecida por melhorar o humor e servir como uma distração positiva para aqueles que lutam contra transtornos depressivos. 

Além da companhia, os animais de estimação contribuem para seguir uma rotina, mantendo a responsabilidade e a atividade social em dias que nos custariam mais caro. 

Embora todos os animais de estimação possam nos ajudar a superar a depressão, os gatos são especialmente calmos e pacíficos e essas características podem ser contagiosas para seus donos.

10. Eles sabem que enlouquecer de vez em quando não é ruim

Embora os gatos sejam famosos por sua serenidade e calma, eles não têm medo de enlouquecer de vez em quando – tanto física quanto emocionalmente – quando seus espíritos são acionados. E acontece que isso também pode ajudar seus proprietários.

Um estudo de 2012 da Harvard School of Public Health descobriu que o acúmulo de emoções negativas pode ser tóxico para o corpo, aumentando o risco de morte por doença cardiovascular ou câncer. 

Em vez disso, psicólogos revelaram que sentimentos negativos como tristeza, ansiedade, raiva e culpa podem ser muito positivos quando a pessoa se permite expressar honestamente o que está sentindo.

11. Suprima o sentimento de solidão com amor incondicional

Até mesmo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças reconhece que um dos maiores benefícios de ter um animal de estimação é sua capacidade de acalmar nossos sentimentos de solidão. 

Às vezes, eles são os melhores ouvintes depois de um dia difícil, e seu rosto, quando entramos pela porta, nos lembra que sempre há alguém animado para nos ver. 

De acordo com pesquisadores das Universidades de Miami e Saint Louis, os animais de estimação podem atender às necessidades sociais de uma pessoa da mesma forma que a companhia de outros humanos.

Deixe uma resposta