5 Suculentas exóticas fáceis de cultivar

5 Suculentas exóticas fáceis de cultivar

As suculentas têm texturas e formas estranhas, cores diversas e flores vistosas que irão chamar a atenção em um jardim. São diversos grupos de plantas que possuem em comum caules e folhas carnudas que retêm água. Veja as melhores suculentas exóticas e fáceis de cuidar.

1. Aeonium

Aeonium, também denominado “immortelle”, tem folhas muito vistosas e pode atingir mais de 90 cm de altura. Ela cresce ao ar livre o ano todo. Suas flores aparecem do final do inverno ao início da primavera e são brancas ou amarelas. Esta suculenta é monocárpica, o que significa que morre após a floração.

2. Babosa

O Aloe vera cresce o ano todo, onde chega a ter 60 centímetros de altura e produz flores amarelas no verão. Ela se dá muito melhor em pleno sol, embora possa tolerar alguma sombra. 

Precisa de solo arenoso bem drenado e água durante os períodos de floração e crescimento quando seca, embora tolere bem a seca. Suas folhas pontiagudas verdes e brancas são muito atraentes e podem ser plantadas em vasos para trazer para dentro da casa no inverno.

3. Crassula

Crassula é uma suculenta muito popular que você provavelmente já viu na casa de sua avó. Tolera quase qualquer tipo de solo, desde que tenha boa drenagem. Ela prefere o sol, mas pode tolerar sombra e se sai muito bem ao ar livre o ano todo.

4. Echeveria

O gênero Echeveria é realmente muito grande e variado. Suas folhas perenes vêm em uma miríade de cores, assim como as flores que pousam em caules delicados. É resistente e precisa de sol e sombra parcial em solo arenoso e bem drenado.

5. Graptopetalum

Este gênero de suculentas tem folhas ligeiramente rosadas, mas sua cor é cinza esverdeado pálido. Cresce muito bem em solos arenosos, bem drenados e com pouca humidade, mas aprecia rega quando seca completamente durante o período de crescimento e floração. 

Cultive ao ar livre na primavera para ver suas pequenas flores brancas em forma de estrela com toques de vermelho em seus caules delgados.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta