8 Segredos da educação oriental para criar crianças inteligentes e talentosas

8 Segredos da educação oriental para criar crianças inteligentes e talentosas

Os pais, em qualquer país do mundo, desejam que os filhos cresçam pessoas inteligentes, talentosas e cheias de valor. 

As crianças orientais são admiradas pelo resto do mundo por se destacarem no nível acadêmico. É por isso que devemos aproveitar algumas informações do que eles fazem para aplicarmos na nossa cultura. Confira!

1. Nos primeiros anos de vida o mais importante é o carinho

Durante os primeiros dois anos de vida, os pais não se preocupam com o fato de seus filhos aprenderem a falar perfeitamente ou aprender letras; ao contrário, eles se esforçam para dar o máximo de amor e atenção possível.

2. As crianças aprendem com seus erros

Ao contrário do que costumamos fazer no Ocidente, os pais orientais evitam impor proibições aos filhos; em vez disso, explicam as consequências que suas ações podem ter. 

Graças a isso, as crianças crescem sabendo que são responsáveis ​​por cada uma de suas ações e aprendem a pensar profundamente antes de realizá-las.

3. Forte senso de “comunidade”

Enquanto no Brasil ensinamos as crianças a cuidar de seus próprios interesses e segurança, tornando-as mais egoístas e menos empáticas com os outros, no Japão eles criam seus filhos com um forte senso de “comunidade”.

Essa é a razão pela qual os japoneses são bons no trabalho em equipe e têm índices de criminalidade muito baixos, porque todos cuidam uns dos outros e se vêem como uma grande família.

4. Desde muito cedo, as crianças frequentam oficinas de arte, ciência e esportes

A maioria de nós acredita que não importa o quão bons sejamos em alguma atividade ou ofício, sempre haverá uma criança asiática que pode se sair melhor. Por mais risos que isso nos cause, é a pura verdade. 

Os pais japoneses são obcecados em fazer com que os filhos se destaquem, por isso, desde os três anos, além de matriculá-los no jardim de infância, fazem oficinas de artes, ciências, matemática, dança ou esportes.

É por isso que muitas crianças asiáticas já tocam instrumentos ou praticam artes marciais aos quatro anos. A partir dos cinco anos, eles começam a aplicar disciplina a fim de prepará-los para a escola.

5. Eles são independentes

No Japão e na Coréia, crianças a partir de seis anos vão para a escola desacompanhadas, graças à segurança que mantém seus pais despreocupados, pois sabem que seus filhos estão bem.

6. Eles chegam na escola sabendo

Quando os mais pequenos entram no ensino fundamental já sabem contar, escrever e ler livros simples, isso devido à importância que os pais atribuem ao desenvolvimento das habilidades cognitivas dos filhos desde cedo.

7. A escola não é só para estudar

Os alunos também ajudam a limpar ou servir refeições dividindo-se em grupos e trabalhando em equipe. Além disso, valores são ensinados e atividades complementares, como passeios culturais ou torneios esportivos.

8. Os pais estão envolvidos na educação de seus filhos

Na escola os professores são respeitados e dedicam todos os seus esforços para que seus alunos aprendam, e quando voltam para casa as crianças e adolescentes são apoiados pelos pais nos deveres de casa. 

Mas, isso não para por aí: as mães e pais japoneses sabem que a educação é muito importante, então se seus filhos se saem mal em uma matéria, eles gastam muito dinheiro com ajuda profissional para evitar o fracasso escolar.

Embora o sistema educacional oriental seja mais disciplinado e reduza as horas de lazer das crianças, os pais ocidentais podem seguir bons conselhos para complementar a educação de nossos filhos e garantir um futuro melhor.

Deixe uma resposta