Deficiência de vitamina B12: epidemia silenciosa, com graves consequências

Deficiência de vitamina B12: epidemia silenciosa, com graves consequências

A falta de vitamina B12 pode acarretar sérios problemas de saúde e desencadear várias doenças como O Mal de Alzheimer, esclerose múltipla.

E também doenças mentais como depressão e outros, câncer, infertilidade, doenças cardiovasculares além de outras enfermidades.

A falta da vitamina B12

A deficiência de vitamina B12 em nosso organismo é pouco difundida entre a população leiga que só conhece a doença estabelecida pela falta da vitamina B12 e não identifica primeiro o que desencadeou o problema.

Os estudo feitos em uma universidade constataram que 40 % de indivíduos com idades entre 26 e 83 anos têm níveis de vitamina B12 na faixa de normal à baixa. O que já pode ocasionar sintomas neurológicos.

Os voluntários que tiveram 16% estavam perto da deficiência e os com 9% tinham a deficiência de vitamina B12 clara em seu teste. O que surpreendeu os pesquisadores foi o fato de os índices baixos serem também comuns entre pessoas mais jovens.

A estimativa é de que a deficiência da vitamina B12 afete 40% das pessoas com idade inferior a de 60 anos. O sintomas característicos da fase de envelhecimento é a diminuição de mobilidade, perda de memória e também declínio cognitivo, mas alguns destes sintomas podem ser a falta da B12.

Deficiência da vitamina B12 sem prevenção prévia

Os médicos têm por costume tratar a doença já estabelecida que foi causada com ajuda da deficiência de vitamina B12.

E também este exame para diagnosticar se há falta de B12, não rotineiramente pedido pelos profissionais da saúde. Os especialistas em diagnóstico desta deficiência sugerem que os pacientes devem apresentar níveis de vitamina B12 no sangue inferior a 450 pg/mL.

Mas isso com nível elevado de ácido metilmalonico urinário (MMA), homocisteína e holotrancobalamina.

A taxa considerada normal pelos médicos é de 200 pg à 350 pg/mL, apesar de serem considerados normais, os pacientes que apresentam essas taxas, têm sintomas claros de deficiência de vitamina B12.

Em países com a Europa e Japão, o limite inferior para a vitamina B12 seria de 500 a 550 pg/mL que seria o nível onde os pacientes têm comportamento com declínio cognitivo, perda de memória e demência.

É sugestionado pelos especialistas que o Japão apresenta baixas taxas de Mal de Alzheimer e demência por tratar os níveis normais como um sinal de alerta. Já nos Estados Unidos seria realmente considerado como taxas normais sem grande alarde ao problema.

Como age a vitamina B12 em nosso organismo?

A vitamina B12 trabalha junto com o folato na síntese de DNA das células vermelhas do nosso sangue. Também está presente na produção da bainha de mielina em torno dos nervos e na condução do emaranhado de terminações que conduzem a comunicação dentro do nosso corpo.

A deficiência grave da vitamina B12 pode causar a anemia perniciosa, que destrói o fator intrínseco, uma proteína importante para absorver a vitamina B12.Foi considerada fatal até os médicos descobrirem que administrar aos pacientes fígado cru, o problema seria amenizado.

 O fígado cru é riquíssimo em vitamina B12. Esta anemia é a fase final da deficiência da B12. Mas antes do problema se tornar fatal, o paciente apresenta fadiga, perda de memória, problemas mentais e letargia.

A deficiência da B12 tem 04 fases distintas:

  • Diminuição de B12 no sangue
  • Baixa concentração celulares da vitamina
  • Aumento da taxa de homocisteína e diminuição de síntese de DNA
  • A anemia macrocítica

Quando o corpo não absorve bem a vitamina B12, isto pode provocar:

  • Disbiose intestinal
  • Intestino permeável ou inflamação
  • Gastrite atrófica ou hipocloridria onde acontece baixa acidez estomacal
  • Certos medicamentos
  • Álcool
  • Exposição a óxido nitroso

Isto quer dizer que muitas pessoas comem grandes quantidades de alimentos de origem animal, única condição onde é encontrada a vitamina B12, e tem a deficiência da mesma devido ao corpo não fazer uma boa absorção.

Os grupos de pessoas mais propensos a ter deficiência de vitamina B12 são:

  • Os vegetarianos e também os adeptos ao veganismo (a vitamina B12 só é encontrada em origem animal)
  • Pessoas com idade de 60 anos ou mais
  • Pessoas que usam com frequência IBP ou drogas supressoras de cálcio
  • Pessoas que usam medicamentos para diabete como por exemplo a metformina
  • Mulheres com histórico de aborto ou infertilidade.

A B12 contém cobalto, por isso ela também é conhecida como cobalamina que é produzida no intestino dos animais. É a única vitamina na natureza que não conseguimos obter através de plantas ou da luz solar.

Uma ideia equivocada entre os vegetarianos e veganos é que a vitamina B12 pode ser encontrada em algas, soja fermentada, levedura da cerveja e em spirulina.

Na verdade, os vegetais têm componentes semelhantes a B12 chamadas cobamidas mas no fim das contas, elas disfarçam mas depois somente vão aumentar a necessidade da verdadeira vitamina B12. 

Isto é provado por estudos feitos onde 50% dos vegetarianos e 80% dos veganos têm deficiência de vitamina B12 comprovada cientificamente. E pasmem, existem crianças com deficiência da B12!

Estudos mostraram que crianças com dieta vegana até seus 6 anos de idade, tem deficiência de vitamina B12 mesmo adicionando a sua alimentação alguns produtos de origem animal.

Os estudos também comprovaram que existe uma associação bem significativa entre a cobalamina, que é semelhante a b12, e o resultado de testes que medem a inteligência, habilidade espacial e memória de curto prazo em crianças veganas.

A deficiência de inteligência fluida é preocupante pois envolve o ato de raciocinar e a capacidade da criança resolver problemas complicados. Também envolve a capacidade de pensamento abstrato e o aprendizado.

Qualquer deficiência nestas áreas do cérebro podem ter sérias consequência à longo prazo na vida do indivíduo.

Como tratar a deficiência de vitamina B12

O tratamento da deficiência desta importante vitamina é relativamente barato e de fácil administração e cura se comparado com o tratamento para doenças que tiveram início pela falta da B12. Um simples exame de sangue pode ser a prevenção.

Pessoas com doença inflamatória intestinal crônica ou com anemia perniciosa podem ter sofrido desta deficiência de B12 durante toda a sua vida. Exigindo para sua sobrevivência, injeções de vitamina B12 por tempo indeterminado.

Outros estudos científicos sobre a deficiência, demonstraram que tanto medicamentos orais e nasais elevaram podem ser tão eficazes com as injeções. Mas mesmo assim ainda é recomendado, se necessário, a administração de injeções ao paciente.

A injeção recomendada geralmente é a cianocobalamina. Mas estudos mostraram que a hidroxicobalamina é superior a cianocobalamina e a metilcobalamina é superior a ambas.

A metilcobalamina é excelente para tratar sequelas neurológicas provenientes da deficiência de B12. Ela age fornecendo ao corpo, grupos metil que desempenha vários processos biológicos importantes para o bom funcionamento do organismo.

Está com deficiência de vitamina B12?

Se você já fez exames e foi comprovada a deficiência, o primeiro passo é identificar o que está causando o problema. Na sequência, a administração de medicamento oral, nasal, ou sublingual é o tratamento mais adequado.

Deixe uma resposta