É Revoltante o Que Os Gatos Pensam Sobre Nós! A Explicação Dos Especialistas Irão Te Decepcionar!

É Revoltante o Que Os Gatos Pensam Sobre Nós! A Explicação Dos Especialistas Irão Te Decepcionar!

Mesmo se você estiver tratando seu gato como um membro da família, ele parece ter uma opinião completamente diferente sobre você.

A maioria das pessoas que amam gatos agem como pais que cuidam, nutrem, abrigam e acariciam seus queridos animais como crianças. Eles se comunicam, elogiam e discutem com ternura pelas cortinas rasgadas ou pelas coisas quebradas pela casa. Tudo se deve ao nosso antropomorfismo, isto é, atribuir traços humanos aos animais. Mas o gato é diferente. Ele percebe você como “um gato inofensivo gigantesco”, diz o biólogo e diretor do Instituto de Antropologia de Bristol, John Bradshaw.

Analisando por 30 anos o comportamento de animais domesticados, Bradshaw fornece uma explicação curiosa sobre o comportamento de gatos na presença de seres humanos.

Como especialistas explicam o comportamento dos gatos?

Primeiro, ele ressalta que os gatos ainda não são domesticados. Eles estão muito mais próximos de seus ancestrais selvagens do que os cães.

Uma razão para isso é que quando o cão foi domesticado, o homem estava interessado em ser entendido e ajudado por ele, como o que acontecia na caça. Enquanto isso, o gato estava sendo usado para pegar ratos. Dessa maneira, os gatos nunca foram alimentados de maneira especial. Respectivamente, entre homem e gato não havia interdependência.

Eles somente coexistiam, mas não interagiam.

A necessidade emocional das pessoas de se comunicarem com os gatos surgiu recentemente. As estatísticas mostram que 85% dos gatos acasalam com gatos selvagens na rua, então suas espécies ainda permanecem relativamente selvagens.

Durante o dia, o gato repete os movimentos que os gatinhos fazem para estimular a lactação para as mães perto de nós, humanos, somente para demonstrar fome. Quando ele caminha entre suas pernas para ser consolado, ele realmente mostra sua atitude positiva em relação ao humano – da mesma forma que faz com outros gatos.

Quando eles trazem camundongos mortos para casa, eles não mostram sua preocupação para com o mestre, mas simplesmente querem guardar seu alimento em um lugar seguro para comer mais tarde.

Bradshaw nos pede para não esperarmos dos gatos o mesmo carinho que recebemos dos cães. Existem situações muito raras quando acontece de o gato responder de forma semelhante aos nossos sentimentos. Seja o que for, não somos o centro do universo deles.

Deixe uma resposta