Se o seu filho ainda dorme com você, então você precisa ler isso!

Se o seu filho ainda dorme com você, então você precisa ler isso!

Seu filho é um pedacinho seu nesta terra e o amor é tão grande que se pudesse não largaria ele por nem um minuto, sempre no seu colinho, mesmo crescendo dia após dia.

Mas, este texto vai fazer você ver este vínculo entre mãe e filho de outra forma. Confira:

O maior desejo de uma mãe é ver seu filho feliz, tendo o privilégio de comer o que tem vontade, ter as melhores roupas, passeios e brinquedos e para oferecer isso à ele, trabalhar é preciso!

O trabalho é um “abismo” entre você e seu pequeno por algumas horas, que te deixa louca de saudade, não vendo a hora de chegar em casa e aproveitar cada minuto com ele.

E ter ele todos os dias dormindo em sua cama, é mais cômodo, pois qualquer problema, você está perto dele e até para alimentar, fica mais fácil. Mas aí está um problema imperceptível.

Por mais que seu filho esteja em um berço ao lado da sua cama e dormindo profundamente, ele acaba por captar toda a energia durante as relações dos seus pais.

Verdade! Este momento íntimo do casal é absorvido pela criança sim, pois durante seu soninho, o cérebro dele não fica em off totalmente.

Os seres humanos foram criados com este alerta: para um perigo eminente ou algum barulho estranho. Por isso, não se iluda achando que ele não ouve os sons durante a relação.

Outro fato importante a ser discutido é a dependência criada no psicológico da criança. Ela sempre vai estar dependente de você para dormir mesmo que esteja caindo de sono, sem ir para sua cama, nada feito.

Desta forma, ela vai se tornar uma pessoa insegura e até mimada. Pois o ciclo da vida, é deixar ele aprender a andar, falar viver e principalmente dormir por si mesmo. No âmbito de proteger você está prendendo ele em um vício nocivo.

Sua intimidade deve ser preservada. E ele tem o direito de criar seu mundo em seu próprio quarto. A independência para se desenvolver de forma saudável.

Este post tem 8 comentários

  1. Nadima

    Discordo. Acredito que cada família, cada casa, tem uma dinâmica diferente. Criar um filho não é uma matemática, não tem um jeito certo ou errado, afinal são seres humanos. O mais importante, na minha humilde opinião, é sempre observarmos como a criança está se saindo, se ela está se desenvolvendo de forma saudável (psicológica, espiritual e fisicamente).
    E aí sim, pensarmos ou repensarmos na forma como estamos lidando com certas coisas.
    Eu fui uma criança que dormiu por muitos anos com a minha mãe. No meu caso, o meu pai trabalhava em outro estado, então quando ele vinha pra casa eu ia dormir em outro quarto, sem nenhum problema. E agora, com meu filho, eu também durmo com ele, mas quando precisa ele dorme tranquilamente em outro lugar. Devido aos horários de trabalho malucos do meu marido, não adotamos nenhuma rotina rígida. E, sabe de uma coisa, meu filho é um menino esperto, super sociável, seguro e saudável. Lógico que não somos perfeitos, mas somos uma família imensamente feliz e satisfeita com a nossa forma de lidar com as coisas. Então, respeito a opinião de estudiosos e até de outros pais, mas no final das contas, quem sabe mais sobre como lidar com os filhos são aqueles que convivem diariamente com eles.

    1. Larissa

      eita mulher, que arraso em casa palavra! 👏🏽

  2. Chirlene

    Concordo plenamente, excelente comentário.

  3. nubiapereirasilva17@gmail.com

    Concordo plenamente com essa moça. Mas não descarto opiniões de quem estuda o assunto. Afinal ninguém sabe de tudo.

  4. Ju

    Eu sei o quanto é difícil, infelizmente a criança acaba criando um vínculo e uma dependência nós pais, no meu caso me separei e meu filho dormiu comigo até grande, e quando me relacionei com outra pessoa que o filho tbm dormia junto , sentimos muita dificuldade o meu filho acabou ficando com muito ciúmes e o meu enteado está passando no psicólogo, como meu filho já é grande não tive problemas maiores , mas meu enteado está passando por um momento complicado, confundiu a relação de pai e filho, misturou na cabeça dele e ele acha q o pai é exclusivo dele.

  5. Beatriz

    Concordo com o primeiro comentário, minha filha dormiu comigo até os 8 anos de idade e é muito segura, independente. Tem 23 anos , fez universidade fora , morou sozinha . Enfim, acredito nos estudos , mas cada ser humano tem um perfil diferente. Outra coisa , deixei minha filha usar chupeta até quando ela quis, não interferiu em nada , tem os dentes perfeitos e alinhados, não tem o palato duro (céu da boca) defeituoso como dizem fica. O importante na relação com os filhos é sinceridade, carinho, diálogo, ambiente saudável com os pais e educação.

  6. Ali

    Concordo com você, o texto dá início como se fosse realmente prejudicial a criança dormir com os pais…
    Mais quando na realidade relata em casos que os pais fazem relações sexuais na cama com a criança dormindo.
    Nossas filhas dormem com a gente, mais nunca mantivemos relações sexuais no mesmo comodo em que as crianças estivessem dormindo. Isso sim seria totalmente prejudicial para uma criança.

  7. Jane

    Creio que todos os cuidados são nunca são demais, e acredito que cada um tenha uma experiência diferente, mas trabalho com a comunidade e encontro crianças já na pre adolescencia que tem problemas relacionados a matéria. Criança que falam sobre seus pais fazendo “coisas” (assim descrito por um garoto) durante a noite enquanto dormia. Entendo sim o quanto é gratificante dormir com seus filhos, mas há cuidados valorosos que devemos tomar

Deixe uma resposta